Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Importância

A governança corporativa é um dos temas de mais recente desenvolvimento no campo da alta gestão. É uma área de conhecimento de amplo interesse e que envolve um leque aberto de questões. Desde as relacionadas a aspectos legais, como os direitos societário e sucessório, até questões financeiras, como a geração de valor, a criação de riqueza e a maximização do retorno dos investimentos. Passam ainda por questões estratégicas, como a definição dos propósitos empresariais e das diretrizes corporativas para os negócios e as operações. E alcançam também os sistemas que regem as relações entre os acionistas, os conselhos de administração e a direção executiva das empresas.

Por este conjunto de interesses envolvidos, a governança corporativa certamente não é um modismo a mais. Seu desenvolvimento tem raízes firmes. E sua adoção tem razões substantivas para se disseminar. Organizações multilaterais, como as Nações Unidas e a OCDE, vêem as boas práticas de governança como pilares da arquitetura econômica global e um dos sistemas do desenvolvimento sustentável em suas três dimensões – a econômica, a ambiental e a social.

Não há, todavia, um modelo universal de governança corporativa. As diferenças entre os modelos praticados resultam da diversidade cultural e institucional das nações. Neste livro, os professores Adriana Andrade e José Paschoal Rossetti examinam os dez seguintes fatores de diferenciação:

  1. Fonte predominante de financiamento das empresas.
  2. Separação entre a propriedade e o controle.
  3. Separação entre propriedade e gestão.
  4. Proteção legal aos minoritários.
  5. Tipologia dos conflitos de agência.
  6. Dimensões, composição e eficácia dos conselhos de administração.
  7. Forças de controle mais atuantes.
  8. Abrangência dos modelos de governança praticados
  9. Liquidez da participação acionária.
  10. Estágio em que se encontra a adoção das práticas de governança

“A compreensão, a internalização e o exercício da governança corporativa estão, há no mínimo 20 anos, entre os mais importantes desafios da moderna gestão. No mundo corporativo, mais até que o domínio dos conceitos e das melhores práticas de governança, bem como dos decorrentes processos de gestão, colocam-se como questões também fundamentais a assimilação do significado histórico deste novo desafio e de seus futuros desdobramentos.”

“A governança corporativa tem fundamentos sólidos, definidos a partir de princípios éticos aplicados na condução dos negócios. Seu desenvolvimento e sua afirmação têm raízes micro e macroeconômicas. E sua sustentação já se estabeleceu não só pelos princípios e razões que se encontram em suas origens, mas também pelos institutos legais e marcos regulatórios que envolvem os processos de gestão e que, cada vez mais, aperfeiçoam-se com base nos valores que regem a boa governança.”

Este texto de abertura de Governança Corporativa: Fundamentos, Desenvolvimento e Tendências dá ao leitor uma noção do que encontrará nas 602 páginas dos oito capítulos do livro. Os autores abordam com clareza temas como:

  • O desenvolvimento da Corporações e o Despertar da Governança Corporativa
  • Objetivos, Concepções e Valores da Governança Corporativa.
  • Os grandes marcos construtivos da Governança Corporativa.
  • As questões centrais da Governança e as forças de controle das corporações.
  • A Estrutura de poder, o Processo e as Práticas de Governança Corporativa.
  • Os modelos de Governança Efetivamente praticados.
  • A governança Corporativa no Brasil.
  • As tendências prováveis da Governança Corporativa
  • Da Governança Corporativa A Governança do Estado.

A abordagem dos autores não é ativista. O critério adotado foi o de mesclar a análise gerencial das práticas de alta gestão com a evidência da investigação acadêmica e com resultados de pesquisas de campo de consultorias e instituições de mercado. Produziram assim um texto didático, expositivo e abrangente. Uma contribuição estruturada para a compreensão das questões centrais, do estágio, dos desafios e das tendências da governança corporativa, no mundo e no Brasil.